..::: CKC DO BRASIL ::...

Portas de Madeira (PRF-30/60)

PORTAS DE MADEIRA CORTA-FOGO (PRF 30/60)

As portas de madeira representam peças fundamentais em empreendimentos imobiliários, tanto residenciais, quanto comerciais. As portas corta-fogo, representam uma peça fundamental na compartimentação horizontal entre ambientes, das quais devemos conforme a NBR 11742, são definidas classes de portas corta-fogo classificadas da seguinte forma:

• Classe P-30: Tempo de resistência mínima de 30 minutos Fechamento de aberturas em paredes corta fogo de resistência 1 h (CF-60); Proteção de apartamentos em edifícios residenciais

• Classe P-30 à prova de fumaça: Tempo de resistência mínima de 30 minutos à prova de fumaça Utilizado nas portas de acesso às escadas de emergência com antecâmara, ou com duas portas das antecâmaras de área de refúgio; Corredores de circulação de saídas de emergência;

• Classe P-60: Tempo de resistência mínima de 60 minutos Fechamento de abertura em paredes corta-fogo de resistência 2 h (CF-120); Fechamento do acesso à antecâmara das escadas de saídas de emergência; Proteção de escritórios em edifícios comerciais e industriais;

• Classe P-60 à prova de fumaça: Tempo de resistência mínima de 60 minutos à prova de fumaça Fechamento de aberturas de acesso a escadas de saídas de emergência sem antecâmara (somente em casos em que não for possível a construção da antecâmara);

PORTAS DE MADEIRA MACIÇA

Ao mesmo tempo que encontramos portas de madeira maciça de elevada qualidade e determinada resistência ao fogo (até 30 minutos em alguns casos), também encontramos portas fabricadas com madeira de menor qualidade e resistência ao fogo. Um alternativa frequentemente sugerida pelos Bombeiros, é a troca da porta comum, por uma porta de madeira maciça. O elevado custo de uma porta em madeira maciça é um desafio a todos os arquitetos, projetistas e engenheiros responsáveis pela segurança contra o fogo destas edificações. Por isso, recentemente, existe a possibilidade de se utilizar tinta intumescente ou vernizes intumescentes à basicamente 1/5 do custo de uma porta de madeira maciça. Sem afetar a estética das portas instaladas. Deve-se atentar às certificações que estas portas possuem, antes de adotá-las. Usualmente elas apresentam um custo elevado, que varia entre R$700 a R$1.000 por unidade, o que muitas vezes torna um projeto inviável.

PORTAS DE MADEIRA OSB (Aglomerado) OU COMPENSADO (Plywood)

O uso de madeiras compensado (Plywood) ou OSB (aglomerados) tornaram-se economicamente acessíveis, percebemos que as empresas que buscam estas soluções, buscam cada vez mais reduzir seus custos, mas muitas vezes acabam comprometendo a sua resistência ao fogo, demandadas por legislações e instruções técnicas por parte dos Bombeiros. Recentemente, algumas instruções técnicas, como a IT 43 do Corpo de Bombeiros de SP, item 7.1.3.1.2, detalha que deve-se adotar enclausuramento com portas resistentes ao fogo PRF P-30, as portas das unidades autônomas que tem acesso ao hall ou corredor de circulação, que por sua vez, acessa a escada de emergência ou única escada de acesso no pavimento. Muitas vezes, estas portas são fabricadas com madeira comum e certamente não resistem à ação do fogo se não estiverem adequadamente protegidas com proteção passiva ou verniz intumescente certificados por laboratórios e normas adequadas.

TESTES, NORMAS E VERNIZ INTUMESCENTE PARA PORTAS DE MADEIRA

O uso de vernizes retardantes e intumescente ainda é relativamente novo no mercado brasileiro. Com o constante uso em obras onde a madeira está presente, este modelo se provou ser o mais adequado em mercados da Europa e EUA, onde o mercado demandou tais tipos de solução. No entanto, é importante se antentar ao produto escolhido para tal função, já que muitos produtos no mercado prometem a funcionalidade de serem testados para o tempo requerido de resistência ao fogo, quando na realidade, foram apenas testados para propagação superficial de chamas. Um exemplo claro disso, são vernizes intumescentes que foram testados e aprovados para a norma NBR 9442, da qual realiza-se um teste de fogo por 10 minutos e atesta-se que o material protegido não permitiu que as chamas avançassem em uma medida pré-definida. Este teste é comum a muitos substratos como madeira, plásticos, tecidos e fibras naturais. No entanto, o seu tempo de resistência ao fogo, ainda mais quando falamos em um incêndio padrão (que atinge temperaturas de 600º C com facilidade), não são critérios para se decidir qual o produto mais adequado para se proteger as portas de madeira.

Conheça a solução ideal que a CKC oferece para ser aplicada em portas de madeira convencionais, conferindo a propriedade de resistência ao fogo, transformando uma porta convencional de madeira em uma P-30 ou P-60, dependendo do número de demãos que é aplicado. Saiba mais.


Área Restrita

Acessar Conteúdo

Realizar login

Usuário *
Senha *
Lembrar